1

06 março 2016

#Resenha: A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff


Ficha Técnica
Autora: Michelle Falkoff
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Número de páginas: 288
Assuntos: Ficção, Drama
Adquira: Submarino, Americanas
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

~  ~   *  *  *   ~  ~

U ma morte, várias perguntas... E um caminho penoso a percorrer para descobrir as respostas e cessar a culpa.

Um tempo atrás, tinha recebido da editora Novo Conceito uma degustação do livro A Playlist de Hayden, postando, logo após lê-lo, minhas primeiras impressões que você pode conferir clicando Aqui!

Como já havia escrito boa parte das minhas primeiras impressões sobre o começo do livro, esta resenha será um complemento ao que havia escrito no outro post sobre o livro.

Eu tinha certas expectativas sobre o livro, que infelizmente, não foram alcançadas. Quando li a degustação, fiquei muito curiosa para continuar a leitura e também comecei a elaborar várias teorias na minha cabeça sobre: quem seria a pessoa por trás do Arquimago_Ged? O que aconteceu de tão grave na festa? Quem era o verdadeiro culpado pela morte de Hayden e como Sam superaria tudo isso? Minhas perguntas foram respondidas, mas não do modo como eu imaginava.


"A combinação de satisfazer a minha curiosidade inata sobre a vida alheia e a possibilidade de descobrir de uma vez por todas o que levou Hayden a fazer aquela coisa, mesmo que isso significasse confirmar a minha própria culpa... podia ser viciante, não é mesmo?" Pág. 146

As questões sobre o poder destrutivo do bulling, se perdoar pelas atitudes não tomadas, pelos julgamentos precipitados e pelos erros cometidos são muito fortes na história. E acredito que essa seja a mensagem principal por trás da história. Da necessidade de se ouvir mais as pessoas para tentar compreender o lado do outro, a superação de várias formas, até aquelas que a gente acha impossíveis de serem realizadas. Outro ponto interessante foi mostrar que, por mais que você ache que conhece alguém, não a conhece, pois todos nós temos segredos que guardamos lá no fundo, e que provavelmente, ninguém nunca irá descobrir.


"Aparentemente, eu não era o único que estava considerando as pessoas surpreendentes naqueles dias. O que me fez pensar se todo mundo tinha uma vida secreta, aqueles aspectos da gente que não combinavam com o que pareciam ser. [...]." Pág. 208

Foi uma leitura interessante para se refletir, mas senti como se tivesse faltando o "algo a mais" que eu tanto esperava. Os personagens também não conseguiram me cativar muito, até gostei deles mas não cheguei a me conectar com nenhum. Sam, mesmo não tendo uma personalidade forte ou marcante, amadureceu de uma forma bacana e superou os seus conflitos internos.
Lembrando que não é um livro ruim, pelo contrário. Por ser um Young Adult é provável que cative mais o público pré-adolescente, ainda mais por ter como pano de fundo problemas escolares e conflito de sentimento. A narrativa foi bem fluída dando um tom bem informal a história.


Avaliação Final:

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário