1

02 março 2016

#Resenha: Primeiro Amor - James Paterson


Ficha Técnica
Autor: James Patterson e Emily Raymond
Editora: Novo Conceito
Ano: 2014
Número de páginas: 240
Assuntos: Ficção, Romance
Adquira: Submarino, Americanas
Axi Moore é uma garota certinha, estudiosa, bem comportada e boa filha. Mas o que ela mais quer é fugir de tudo isso e deixar para trás as lembranças tristes de um lar despedaçado. A única pessoa em quem ela pode confiar é seu melhor amigo, Robinson. Ele é também o grande amor de sua vida, só que ainda não sabe disso. Quando Axi convida Robinson para fazer uma viagem pelo país, está quebrando as regras pela primeira vez. Uma jornada que parecia prometer apenas diversão e cumplicidade aos poucos transforma a vida dos dois jovens para sempre.
Comovente e baseado na própria vida do autor, este livro mostra que, por mais puro e inocente que seja, o primeiro amor pode mudar o resto de nossas vidas.

~  ~   *  *  *   ~  ~

A bandonar tudo para viver uma grande aventura, descobrir um amor e perceber que sem tomar uma atitude, muitas coisas podem se perder...

Axi é uma jovem de 16 anos, sua mãe deixou a família 6 meses após a morte de Carole, irmã mais nova de Axi. Já seu pai entrará em uma fase ruim e desde então tentava encontrar a saída na bebida.
Foi quando Axi resolveu fazer algo louco e impensável, fugir de casa para viver uma aventura, passear por lugares que sempre sonhou em conhecer, arrastando com ela seu amigo Robinson, carinhosamente apelidado de Patife, que depois de muito suspense, aceita embarcar nessa viagem.
Juntos eles partem cometendo sua primeira violação a lei ao roubaram uma moto, sentindo o gostinho da liberdade, o vento no rosto e vendo a cidade ficar para trás...

Foi uma história que começou despretensiosa, mostrando o desejo desesperado de dois jovens de viver uma aventura de sair do mundinho em que viviam para descobrir novas experiências e lugares. Até aqui parecia ser mais um daqueles romances juvenis e fofos, mas ao chegar em uma determinada parte do livro, o autor acabou me surpreendendo, mostrando o ouro lado da "moeda". Com sutileza e destreza, James Patterson traz a tona o outro lado por trás da tristeza, ressentimento, dor e medo.


"[...] Existem níveis de vida. você vivê-la bem ou ser um sonâmbulo. Você pode descer a encosta de trenó ou pode passar o resto da vida em frente à TV. [...] Arriscar, Axi. Esse é o segredo. Arrisque tudo." Pág. 228

Percebemos como é sempre mais fácil fingir do que encarar os problemas de frente. E aquilo que era só mais um romance juvenil acaba se tornando também um drama, uma luta pela felicidade, não importando o quanto ela dure.Além de nós deixar uma pequena, mais importante mensagem, de que deveríamos rir, viver e arriscar mais.
Arriscar tudo, mesmo que para isso seja necessário deixar tudo para trás, ter uma novo olhar sobre as coisa, pois o que pode ser importante hoje, pode não ser mais amanhã.


"Pensei por um instante em minha aula de física [...]. Um corpo que está em repouso fiará em repouso a não ser que uma força externa aja sobre ele. Essa é a primeira lei de Newton. Em outras palavras, eu estava completamente segura,. Até pisar no acelerador." Pág. 78

Confesso que quando peguei este livro para ler não esperava muita coisa, principalmente por só ter lido do autor os dois primeiros livros da série Bruxos e Bruxas (Bruxos e Bruxas e O Dom), que não me agradaram muito e o infantojuvenil Caçadores de Tesouros.
Pensei que seria só um romance bobo entre dois jovens rebeldes fugindo pelo mundo, mas quebrei feio a cara, pois o autor nos dá uma chacoalhada, mostrando uma história forte onde o peso das escolhas que podem ser determinantes entre viver ou somente

A narrativa flui muito bem, instigando o leitor, mesmo sendo narrador em 1ª pessoa pela Axi, temos uma boa visão sobre os outros personagens também. Gostei da história, da mensagem passada por e ela e dos personagens. Robinson foi um doce, com suas loucuras e mania de sacanear a Axi, que me cativou com sua personalidade. Porém, mesmo gostando bastante de como os personagens foram desenvolvidos, por algum motivo estranho e que não saberia explicar, não consegui me apegar a eles, ter aquele carinho especial, sabe?

Avaliação Final:

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário