1

09 abril 2015

[Mangá em Foco] Freezing - Enredo do Primeiro Arco

E ai pessoal, tudo bem?
Tomei vergonha na cara (rsrsrs) e finalmente resolvi começar essa coluna que há tempos tenho vontade de escrever. Para quem ainda não saiba, além de gostar de livros e animes também sou fã dos mangás!
Reconheço que li poucos até agora, mas sabe como é ter vários hobbies custa dinheiro e tempo, e os livros acabaram ocupando uma parcela maior deles. Mas chega de blá blá blá e vamos ao que interessa e pra estrear a coluna escolhi falar (da primeira parte) de Freezing!!!


Ficha Técnica
Autor: Dall-Young Lim
Ilustrador: Kwang-Hyun Kim
Editora Japonesa: Kill Time Communications
Editora Brasileira: JBC
Gênero: Ação, Ficção Científica
Faixa Etária: +18
Volumes: 24 (ainda em andamento)
Sobre o que fala?
Freezing (フリージング, Furījingu?) é uma série de mangá japonesa, criada e ilustrada pelos coreanos Dall-Young Lim e Kwang-Hyun Kim, que gira em torno de uma força extraterrestre chamada de “Nova”, sere que estão invadindo a terra e utilizando sua alta tecnologia para destruí-la, com isso foram criadas as “Pandora”, garotas que tiveram implantados em seus corpos fragmentos dessa tecnologia Nova chamada Stigmatas, podendo assim utilizar esse poder, juntamente com Limiters, para combater os Novas. 

A Primeira Parte (Arco)
Essa parte irá abranger os 8 primeiros volumes do mangá e focará na história de Kazuya Aoi, um “Limiter” (Limitador) cuja falecida irmã era uma “Pandora” mundialmente conhecida pela força e por ter dado a vida em uma das mais terríveis batalhas já travadas. E temos também Satellizer El Bridget, uma “Pandora” de personalidade fria e feroz conhecida pela como “A Rainha Intocável”, isso por causa de seu intenso pavor de ser tocada por alguém. Ambos estão matriculados na West Genetics Academy (Academia Genética do Oeste), uma das várias escolas espalhadas pelo mundo que treina “Pandoras” e “Limiters” a lutarem contra os “Novas”.
Tá, mas por que falar somente do primeiro arco, você me pergunta. Primeiro, o mangá tem muitos volumes e como a partir do volume 9 temos um outro foco na história que se diferencia bastante com essa parte, ficaria melhor falar dela separadamente e segundo, ainda não li todos os lançados por aqui =P

Num primeiro momento Freezing pode parecer somente um mangá cheio de garotas com "formas" avantajadas que lutam entre si para rasgar suas roupas ou caírem detonadas no chão, e em parte é isso mesmo hahahaha. Mas se engana quem acha que é SOMENTE isso. A sensualidade presente no mangá não passa de um fan service para fazer a alegria dos marmanjos de plantão, pois se olharmos diretamente para história, veremos que Freezing tem muito a nos oferecer.
Além de um enredo rico em mistérios, acompanhamos a evolução e o envolvimento dos personagens, os laços que eles formam e os desafios tão físicos quanto psicológicos que cada um vem a enfrentar.
Não poderia deixar de destacar as frenéticas lutas, tanto de Pandoras contra Pandoras como entre elas e os Novas, onde parece não haver limites, já que além de fortes, as Pandoras contam com um centro de recuperação capaz de curar até um braço decepado.
E temos a clássica pitada de humor, que confesso, me fez dar várias risadas ao longo desse primeiro arco.
Esse é um dos fatos pelo qual gosto tanto desse mangá, pois além de contar com batalhas insanas, cenas cômicas e uma boa dose de romance e companheirismo, consegue também despertar vários sentimentos, que nos envolvem, nos cativa e ficam impossível não ter um apreço por ele.
Sobre o traço não tem nem o que falar, além de excepcional e detalhista, dá um ar bem realista a história.

PS: Esse primeiro "Arco" na verdade se finaliza no volume 6, os outros dois volumes (7 e 8) vão revelar um pouco do terrível passado da Satellizer, e como ela, com a ajuda de Kayuya, conseguiu enfrentá-lo.

Personagens
É interessante como, em meio a tantos personagens, cada um consegue se destacar e nos cativar de uma forma diferente. Kazuya e a Satellizer me conquistaram já no primeiro volume, a química deles ficou perfeita, até desenvolvimento do momento em que se conheceram até ele ser o "Limiter" dela foi algo muito bem construído. Já outros personagens tem acabam sendo julgados por uma primeira impressão, e ao longo da trama acabamos conhecendo-os mais e descobrindo um outro lado, um porquê de tais ações e comportamentos. Acabei me impressionando com isso pois no começo tinha uma opinião totalmente diferente do que tenho agora sobre alguns personagens. Né, Elizabeth Mably? hahaha.

Tradução
Acredito que a JBC fez um ótimo trabalho nessa parte, visto que é um mangá para maiores de 18 anos não houve mudanças significativas de nomes e termos, o que deixou o mangá o mais próximo do original. Digo isso, pois notei que em alguns outros mangás a editora pareceu deixar a tradução mais "branda", chegando até a mudar nomes e apelidos de personagens de forma desnecessária somente para "atrair novos públicos" (Aka. pessoas não familiarizadas com mangás).
As páginas coloridas no começo do mangá ficaram impecáveis, um item a mais para aumentar sua glória, rsrsrs.


Anime
Em 10 de Janeiro de 2011 à 7 de Abril de 2011 foi ao ar uma adaptação para o anime produzido pela A.C.G.T que abrangeu justamente essa parte do mangá. Se não estiver enganada, havia lido somente o 1º volume do mangá quando comecei a assisti-lo, por esse motivo já sabia várias coisas que aconteceriam no mangá, mesmo assim Freezing conseguiu manter seu brilho e me instigou cada vez mais a lê-lo e ver como as cenas seriam mostradas no mangá.

Kazuya Aoi e seu momento "Turn down for what" hahahahaha

Notas:
Enredo – 9.0
Personagens – 10.0
Design – 10.0
Desenvolvimento – 10.0
Conclusão – 9.0

Avaliação Final:
 

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário