1

13 março 2015

#Resenha: As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender - Leslye Walton

Ficha Técnica
Autora: Leslye Walton
Selo: Novo Conceito
Ano: 2014
Número de páginas: 304
Assuntos: Drama, Romance, Fantasia


Sinopse
Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro.
Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante

D esilusões amorosas e corações feridos são capazes de estar presente geração após geração?... Qual o real significado de nascer assim, com asas?...

Inicialmente temos o relato do nascimento de Ava, que acabou não sendo um fato comum já que a garota tinha nascido com asas, o que alguns acreditavam se tratar de um milagre divino e outros bruxaria.
Depois nos é contada a história de sua árvore genealógica, começando com Beauregard Roux, casado com Maman, o bisavô de Ava. Há também a história dos antigos moradores da casa onde agora Ava, seu irmão e sua mãe vivem.


"[...] É isso. Essa é a razão para não amar. Se eu não amasse, qualquer coisa que eu descobrisse, independentemente do quão terrível fosse, não me magoaria." Pág.161

Comecei a lê-lo sem nenhuma expectativa, já havia lido alguns comentários positivos sobre a obra, mas não quis me aprofundar, por isso, nem havia lido a sinopse. Confuso no começo, o livro nos dá uma visão diferente e por vezes, sombria, dos amores destruídos que cercam as gerações da família Roux. Temos que nos deixar levar pela narrativa e imaginação de Leslye Walton, sem se preocupar ou tentar achar a lógica para certos eventos, para vermos através da fantasia, tragédia, medo, para entender o porquê deles seguirem esse caminho.
A fantasia, por vezes, deu um toque sombrio a trama, ainda por alguns terem a possibilidade de serem reais. A narrativa fluí de forma poética, bela, rápida e solta, com um enredo muito bem elaborado que nos surpreende ao usar boa parte do livro, para contar um passado que não só conquista o leitor como o leva a querer saber ainda mais sobre os acontecimentos que o sucedem.

"- Eu só acho que você não poderia deixar as outras pessoas d-definirem o que você é - disse Rowe rapidamente. - Acho que você pode ser qualquer coisa que quiser." Pág. 206

É uma história que foca bem no drama, nos corações partidos que teimam estar presentes em cada geração da família, alguns traídos por quem mais se amava, outros por enganosas fatalidades e até mesmo por duras escolhas feitas pela medo de novamente sofrer, uma tentativa desastrosa de se proteger da dor. Também temos pontos onde vemos as reflexões dos personagens, sobre o cotidiano, arrependimentos, o que acaba fazendo o leitor também ter essas reflexões.
Não é um livro de ação, mas sim sensível e virtuosa, que traz contextos culturais e sociais da época retratada assim como discussões da atualidade, sendo um livro para se degustar o desenvolvimento e rumo da história. Seu final foi algo ambíguo, deixando o leitor ter sua própria percepção dos acontecimentos.
Ava é nossa narradora, passando pelo passado, seu nascimento e juventude. Nisso conhecemos vários personagens: Além de seus bisavós já citados temos sua avó Emiliene (que acredito ter sido a que mais sofreu na história e que teve forças para seguir em frente), sua mãe Viviane, o doce Gabe, que mostrou a força que o amor possui. Ava teve seus momentos de inocência e estupidez típicos da idade e Henry, seu irmão gêmeo, deu um toque ainda mais especial a história. A maioria deles é cativante e acabam nos conquistando cada um a sua maneira.


"A sensação era a de que Henry tinha nascido meu gêmeo apenas para me lembrar de meu constante e próprio estado de isolamento. Quando descobrimos o quanto a ligação entre Henry e eu era realmente forte, era quase tarde demais ." Pág. 130

Se você gosta de histórias com uma atmosfera sensível, tocante e reflexiva, com um toque realista misturado a uma fantasia poética, esse é o livro ideal. Pode ser que não seja uma leitura que agrade a todos, por se tratar de um drama, mas indico a leitura, principalmente por seu toque único e especial.

A Novo Conceito manteve a capa original americana, mesmo singela nos conquista logo de cara, sem falar que representa e muito a história. A árvore genealógica da família Roux ajuda muito a guiar o leitor e a diagramação simples, tem um tamanho de fonte agradável a leitura.


Avaliação Final:

Leia também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário