1

14 outubro 2014

~Resenha: A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black~

Ficha Técnica
Autora: Holly Black
Selo: Novo Conceito
Ano: 2014
Número de páginas: 384
Assuntos: Ficção, Fantasia
Adquira: Submarino, Americanas

Sinopse
No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair.
Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: trilhando um caminho que ela nunca imaginaria fazer.
A Menina Mais Fria de Coldtown, da aclamada Holly Black, é uma história única sobre fúria e vingança, culpa e horror, amor e ódio.

Como resistir aos encantos sombrios dessa história? Como resistir a fome avassaladora que não distingue quem está a sua frente?....

Tana acorda dentro de uma banheira, atordoada tenta relembrar da noite anterior e se dá conta que está na casa de fazenda dos país de Lance, onde quase todo fim de semana rolava uma festa que ia do crepúsculo até a aurora do dia seguinte. Ao chegar na cozinha, algo lhe chama a atenção e quando caminha até a sala de estar, Tana tem que se segurar para não gritar diante da visão sanguinária que teve.
Lutando com si mesma para que reagisse, ela se dá conta de que precisa pegar suas coisas e cair fora dali. Mas ao chegar no quarto de hospedes, acaba tendo outra surpresa....

"Tana começou a dar risadinhas, o que era péssimo, ela sabia disso, e levou as mãos à boca para abafar o som das risadas. Não era uma boa rir na frente de pessoas mortas. Era como se estivesse rindo e um funeral. Pág. 9"

OMG! Que livro sensacional! Espero conseguir transmitir para vocês toda a perfeição desse livro.
Vou começar falando sobre a narrativa esplêndida da Holly Black, simples, porém intensa, objetiva, que consegue detalhar perfeitamente a história sem deixá-la entediante, fazendo com que consigamos imaginar as cenas de uma forma tão real que nos enfeitiça e é ai que mergulhamos fundo na história.
Holly mostrou que uma história vampiresca não precisa ser mirabolante e cheia de detalhes forçados, podendo ser algo mais real, natural. Ela consegue nos mostrar a verdadeira natureza dos vampiros, o poder da sua sede e os seus conflitos. Narrado em 3ª pessoa, seus capítulos são intercalados entre o presente e flashbacks de Tana, os mistérios do passado de Gavriel e sobre a irmã mais nova de Tana, Pearl.

"[...] Mas a terceira opção, a possibilidade de que haja algo de monstruoso dentro de nós que possa ser liberado, é a mais perturbadora de todas. Talvez sejamos apenas nós, nós com uma fome extrema, nós com alguns assassinatos acidentais no histórico. A humanidade, sem as rodinhas extras da bicicleta, derrapando por uma colina íngreme. A humanidade, livre das amarras da consequência, e com o dom do poder. A humanidade, afastada de todas as coisas humanas. Pág. 363"

Ahhh! Os personagens! Tão bem construídos e perfeitos quanto a história.
Tana foi surpreendente, sua força e coragem são extremas. Sinceramente não sei se teria a força de vontade que ela demonstrou durante toda a sua jornada, ainda mais depois de tudo pelo que passou, por isso é uma das que mais admirei no livro, claro que cometeu seus erros e por vezes ficou refletindo o resultado de suas ações, mas se você se colocar no lugar dela acabaria fazendo a mesma coisa, então isso acabou por torná-la uma personagem tão real.
Gavriel, ahhh! Estou in love com este personagem. Como não amar este galã, sarcástico, insano e lindo, que como disse Tana "Sempre faz o que se menos espera". Suas frases filosóficas e seu sorriso malandro conquistaram meu coração assim que ele surgiu no livro. Quanto ele se distanciou ansiava pelo momento em que fosse reaparecer. Aidan, ex-namorado de Tana me irritou um pouquinho no começo por ser um típico garoto ciumento, que depois se mostrou ser algo muito além do que isso, alguém doce e especial que raramente encontramos por ai.
São vários os personagens que se destacaram e tiveram sua importância na história sendo perfeitamente incorporados a ela, que nem daria para listar todos aqui.

"Tana olhou para os dois e, por um instante, sentiu-se banhada pela atrocidade do que Gavriel havia dito. Ele estava dizendo que o fim do mundo não era um acidente: era uma piada. Pág. 313"

Um livro intenso, sombrio e apaixonante. Tem algumas cenas que alguém leitores podem considerar nojentas, mas acredito ser impossível escrever uma história sobre vampiros sem sangue e corpos dilacerados.
É aquele tipo de livro que quando você termina de ler da vontade de começar tudo de novo, só para poder sentir aquelas sensações de surpresa, ansiedade, aflição e paixão novamente. Sério, fiquei tão extasiada lendo-o que quando estive meio chateada ele conseguiu mudar totalmente o meu humor, além de muitas vezes ser difícil de largá-lo. Sem dúvida, um dos melhores livros que li esse ano S2

A diagramação ficou perfeita e as frases sobre a morte em cada começo de capítulo deixaram o livro ainda mais obscuro. A Editora Novo Conceito manteve a capa original, que além magnífica, tem tudo haver com a história ainda mais pelo "sentido" que o título tomou na história.


Avaliação Final:


Leia também:

2 comentários:

  1. Eu quero ler muito muito muito este livro! http://diariosdeumadesconhecidacomilona.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Estou doida pra ler esse livro.
    www.blognossaestante.blogspot.com

    ResponderExcluir