1

06 outubro 2014

~Resenha: Crônicas dos Senhores de Castelo: O Poder Verdadeiro - G. Brasman e G. Norris~

Ficha Técnica
Autores: G. Brasman e G. Norris
Selo: Verus
Ano: 2010
Número de páginas: 236
Assuntos: Ficção Fantástica, Romance


Sinopse
Uma missão, dois Senhores de Castelo e incontáveis perigos.
A batalha pelo Multiverso começa agora!
Em um passado longínquo, um conflito épico foi travado em todo o Multiverso. Para garantir o futuro e o equilíbrio de todos os reinos, um grupo de combate especial, chamado Senhores de Castelo, foi criado. Depois de anos de guerras devastadoras, os Senhores de Castelo conquistaram a vitória e por mais de três milênios zelaram pela harmonia e pela prosperidade nos quatro quadrantes do Multiverso.
Mas a paz fica ameaçada quando a princesa guerreira Laryssa e seu companheiro androide tentam reativar a magia ancestral do Globo Negro, um artefato de grande poder.
Em meio a perseguições por seres grotescos e por um temível feiticeiro, o caminho da princesa cruza com o de dois poderosos Senhores de Castelo – Thagir, um pistoleiro com braceletes mágicos, e Kullat, um cavaleiro que manipula energia.
Tem início então uma eletrizante jornada, em que habilidades de guerra, magia e tecnologia decidirão o destino de todo um planeta.

O que começou com uma simples missão se transformou numa grande aventura, em meio a batalhas, perigos e mistérios, só há uma certeza...

Kullat e Thagir, dois dos grandes Senhores de Castelos se encontram em uma taverna onde pensam em um plano para achar a princesa Laryssa do reino de Agas'B, quando são surpreendidos por uma explosão vinda da entrada do bar, no chão em meio ao que sobrou da porta havia três pessoas caídas: um soldado, uma garota e um autômato dourado (andróide). Logo atrás vinham um guerreiro bárbaro com um grupo de soldados Karuins. Os dois Senhores de Castelo partem para a batalha e com isso são levados a uma grande jornada...
"Muito deste mundo é reflexo do que fazemos nele, portanto devemos ter dignidade, integridade e coragem. Dignidade para sermos quem somos. Integridade para que possamos nos ver como iguais e, por fim, coragem para sermos o que um povo deve ser: livre. Livre do mal e das trevas. Livre para ser feliz e responsável pelo futuro. [...]" Pág. 214"

Uma história muito bem construída recheada de ação e magia, mas que acabou perdendo um pouco do seu brilho por causa do estilo adotado na narrativa, que segundo um dos autores, inicialmente foi escrito com o foco no público mais infantojuvenil, como não sabia desse detalhe acabei tendo "expectativas erradas" sobre o livro. Mas mesmo sendo para um público mais jovem, senti que eles subestimam um pouco o leitor, digo isso pois gosto e já li alguns infantojuvenis e em sua maioria acredito que uma narrativa simples porém sem argumentos bobos é mais chamativo, até mesmo para as crianças que hoje em dia estão cada vez mais espertas.
O começo pode parecer estranho por  apresentar a missão dos Senhores de Castelo sem nem mesmo sabermos de alguns detalhes, mas não se preocupe, pois tudo é explicado no decorrer do livro, aliás que não deixou nenhum ponta solta. As cenas de ação também são boas e bem elaboradas.

"[...] Kullat disse a Azio e a Laryssa que, não importava o resultado da luta, não deveriam interferir. Sabia que o amigo queria que fosse assim, pois, como mandava a tradição de Newho, quando um guerreiro era desafiado por uma arma, cabia somente a ele provar seu valor diante dela.  Pág. 86"

É uma pena a narrativa ter tirado certo animo em ler o livro, pois gostei de como a história foi conduzida. Os personagens me chamaram a atenção, tanto por suas habilidades quanto carisma. Kullat é um fofo, sempre disposto a ajudar e salvar seu amigo Thagir, custe o que custar, ele por sua vez mostrou ser um pistoleiro habilidoso, companheiro e sábio. Os poderes dos dois Senhores de Castelos se encaixaram perfeitamente com os personagens. No começo do livro depois de ver as ilustrações dos personagens tive a impressão de que Kullat, que tem uma personalidade brincalhona e Thagir, que é mais sério, deveriam ter uma personalidade totalmente ao contrário, sendo Kullat o durão e Thagir o malandro, rsrsrsrs. Mas logo depois percebi que esse era um diferencial deles e no final só fez eu me encantar ainda mais por eles. Laryssa foi a que menos me encantou =/



Um pequeno detalhe que incomodou foi o título de alguns capítulos que eram praticamente mega spoilers que tiraram totalmente a graça do capítulo =/. Foi um boa leitura, fácil e rápida, apesar das ressalvas gostei de conhecer o Multiverso.
A diagramação e parte gráfica do livro são impecáveis, adorei as ilustrações que acompanham a historia, sem falar do mapa e da capa perfeitos *-----*
E apesar de ser uma série, a aventura vivida pelos Senhores de Castelo em O Poder Verdadeiro é finalizada no mesmo, então provavelmente cada livro mostrará os outros desafios que eles terão de enfrentar.

Ah, uma curiosidade: os autores são nacionais, isso mesmo! G. Brasman e G. Norris são pseudônimos para Gustavo Girardi e Gustavo Tezelli. E segundo Girardi comentou no twitter, o 2º livro tem um estilo mais maduro, o que me animou a, futuramente, continuar a leitura da série =)

Para mais curiosidades e conteúdo estendido: Visite o site da série!
Facebook: https://www.facebook.com/CronicasDosSenhoresDeCastelo
Twitter: https://twitter.com/SenhoresCastelo
Booktrailer: http://www.youtube.com/watch?v=GGVgywbHw6s

Série: Crônicas dos Senhores de Castelo  -  G. Brasman e G. Norris

1) O Poder Verdadeiro
2) Efeito Manticore
3) Maré Vermelha
4) Sombras (título provisório,sem data definida)
5) Renúncia (título provisório, sem data definida)


Avaliação Final:

Leia também:

Um comentário:

  1. Não conhecia o livro, achei bem interessante, ótima resenha! Gostei principalmente das ilustrações, ótimo trabalho!

    Obrigada pelo carinho. Beijos :*
    Claris - Plasticodelic

    ResponderExcluir