1

23 julho 2014

~Resenha: Minha Vez de Brilhar - Erin E. Moulton~

Ficha Técnica
Autora: Erin E. Moulton
Selo: Novo Conceito
Ano: 2014
Número de páginas: 288
Assuntos: Ficção, Infantojuvenil


Sinopse
Em uma noite, Indie faz um pedido para uma estrela. Ela quer muito reencontrar a sua lagosta de estimação, e também quer que sua irmã Bibi volte a gostar dela. Mas ter os seus desejos realizados pode exigir dedicação integral! Indie trabalha no teatro durante o dia, mostrando a Bibi e seus amigos o quanto ela pode ser útil. À noite, ela procura sua lagosta perdida, e para isso conta com a ajuda de seu novo grande amigo, Owen. Tudo vai bem até que Bibi e sua turma começam a pegar no pé de Owen, o maior exemplo de nerd e futuro loser. Será que Indie vai conseguir manter em segredo sua amizade com Owen? Será que, para ser uma pessoa melhor, Indie precisa mesmo ser diferente?

Quem diria que uma lagosta dourada chamada Monty Cola faria sua dona construir uma grande amizade e ajudaria a realizar seu maior desejo...

Indie Chickory seria uma garota comum se não fosse pelo fato de ter uma lagosta dourada de estimação chamada Monty Cola. E por ter um contato mais mais próximo com o mar e seus habitantes, Indie é motivo de chacota a escola. Tudo começa quando Monty resolve se enfiar na mochila de Indie enquanto a se arrumava para ir para a escola, lá ela percebe o ocorrido e tenta ajudar Monty a se refrescar, mas por causa da confusão que isso se tornou, assustada, Monty acaba fugindo para o mar. Desolada, Indie fará de tudo para ter sua companheira de volta, em meio a encrencas e novas e valiosas amizades.
"- Não acredite no que dizem. Sobre fazer pedidos a estrelas cadentes, Indie - diz Owen.
- O que você está querendo dizer? - pergunto, encontrando a constelação de Peixes no céu.
- Quero dizer que, se a vida está péssima, não espere que fique ótima só porque você fez um pedido a uma estrela cadente. Não passa de um meteoro entrando na atmosfera terrestre. Ele queima ao tocar a atmosfera, o que cria aquele rastro. Não a nada de mágico nisso. É ciência. Pág. 123"

Já havia lido anos atrás, o primeiro livro da autora lançado pela Novo Conceito chamado A Jornada, lembro que gostei bastante, sendo uma leitura gostosa e com um contexto bonito, tocante.
Com uma narrativa leve, Erin nos apresenta Indie uma garota de cerca de 14/15 anos que tem o desejo de se tornar alguém melhor, para que assim seu relacionamento com sua irmã Bibi volte a ser como era antes, quando se divertiam fazendo caretas de peixe uma para a outra e pedidos para as estrelas cadentes, constelações. Pois agora Bibi só quer atingir a perfeição em tudo que faz, o que parece mais ter a vez com agradar os outros, detesta as caretas e o jeito "desleixo" da irmã.
O que me chamou mais atenção foi os temas abordados na história e a mensagem forte que ela passa. A bondade de uma irmã em querer fazer tudo que é possível para que a outra consiga atingir seus objetos e realizar seu maior desejo, sendo que está nem sequer chega a enxergar tal atitude. Temos também aqueles que viram motivo de zombaria por serem julgados pelo seu modo de vesti ou se portar, sem falar na má influência de pessoas que se sentem bem menosprezando os outros.
"Quando olho para o céu, penso que Owen Stone pode até ser um grande nerd com um plano de automelhoria, mas, pelo tanto que percebo, ele é o garoto mais legal que já conheci. Pág. 211"

Mas também há a sutileza de uma amizade verdadeira que mostra sua força e destreza contra os obstáculos que possam surgir, reconhecendo as pessoas como elas são por dentro e com isso descobrir que às vezes se olharmos com mais clareza os problemas seremos capazes de entende-los e resolve-los. Indie foi uma personagem excepcional, forte. Mesmo que implicassem, a ridicularizassem, ela não se intimidava, seu único pronto franco era a irmã Bibi, mesmo assim Indie parecia ter um conhecimento incrível quanto ao sentimento das pessoas ao seu redor. Já Bibi, a achei meio egoísta, pensando e agindo em forma de beneficio próprio, não se importando nem um pouco com os outros. Owen é brilhante, esperto, enfim, um garoto especial que nos faz parar para refletir em certos momentos.
"Sei que Bibi pode ser melodramática, mas talvez ser a atriz perfeita signifique para ela o mesmo que encontrar a lagosta Monty Cola significa para mim. Talvez a gente tenha a mesma sensação de coração pesado, só que por desejar coisas diferentes. Pág. 234"

Um livro fofo, que usa a simplicidade e inocência para transmitir mensagem mais que especiais. De que nem sempre sabemos se estamos fazendo o certo, que a amizade pode nos levar a um caminho inesperado, mas que pode ajudar em vários aspectos Que não devemos julgar sem antes conhecer, seja ele um nerd talentoso e sabido ou ela uma garota que tem uma mascote/melhor amiga bem peculiar. Pois como sempre o que importa e o interior, com esse é difícil se enganar. Recomendadíssimo S2

Avaliação Final:


Leia também:

Um comentário:

  1. Uau, ganhou o até um coraçãozinho HAHA. Deve ser uma leitura muito agradável.
    Gostei da tua resenha, confesso que me cativou a ler. Quem no mundo tem uma lagosta de estimação? A Indie tem. E gostei da questão da irmã dela, sempre muito egoísta e Indie tentando fazer voltar o que era antes.
    Gostei bastante.
    Grande beijo,
    Gabrielle G. - Blog ABCD dos Livros
    http://abcddolivro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir