1

23 maio 2014

~Resenha: Liberta-me - Tahereh Mafi~

Ficha Técnica
Autora: Tahereh Mafi
Selo: Novo Conceito
Ano: 2013
Número de páginas: 448
Assuntos: Ficção, Distopia


Sinopse
Liberta-me é o segundo livro da trilogia de Tahereh Mafi. Se no primeiro, Estilhaça-me, importava garantir a sobrevivência e fugir das atrocidades do Restabelecimento, em Liberta-me é possível sentir toda a sensibilidade e tristeza que emanam do coração da heroína, Juliette.
Abandonada à própria sorte, impossibilitada de tocar qualquer ser humano, Juliette vai procurar entender os movimentos de seu coração, a maneira como seus sentimentos se confundem e até onde ela pode realmente ir para ter o controle de sua própria vida. Uma metáfora para a vida de jovens de todas as idades que também enfrentam uma espécie de distopia moderna, em que dúvidas e medos caminham lado a lado com a esperança, o desejo e o amor.
A bela escrita de Tahereh Mafi está de volta ainda mais vigorosa e extasiante.

J uliette caminha para sua libertação... mas não será nada fácil controlar sua maldição seu dom, ainda mais que uma guerra ameaça estourar e não lhe resta muito tempo...

Neste segundo livro da trilogia, Juliette tem que aceitar quem é para obter o controle sobre seus poderes inumanos, mas isso não será algo fácil. Cada elemento da história tem seu dilema que se une a outros, transformando-a mais e mais, com isso a autora consegue evoluir bem no andamento da história, pois no primeiro livro vemos que a mais ênfase aos conflitos internos e lamentos de Juliette, já em Liberta-me, ainda temos alguns desses conflitos, mas sinto que ela está mais focada nos personagens a sua volta e em como ajudá-los, mesmo que o medo continue a bloqueando. Também temos mais revelações a respeito de alguns mistérios que haviam surgido e que trazem a tona outras perguntas a serem respondidas.
"Porém, o tempo está além de nossa compreensão finita. É interminável, existe fora de nós; não podemos ficar sem ele nem o perder de vista nem achar uma forma de segurá-lo. O tempo continua mesmo quando não continuamos. Pág. 19"

Em uma boa parte do livro Warner me chamou a atenção e me conquistou ainda mais (Apesar que em Destrua-me já havia me rendido ao seu charme), mas assim como Juliette, teve momentos em que duvidei dele, parece que quanto mais sabemos sobre ele mais confusos ele nos deixa, acredito que esse seja o motivo de eu ter uma certa admiração por esse personagem, de personalidade forte, destemido, que dificilmente revela seus sentimentos, seus verdadeiros pensamentos, resumindo, mesmo sabendo algo sobre Warner, sinto que ainda não sei nada sobre ele.
Juliette, percebo, é a que vem tendo uma maior evolução na história, seus pensamentos melodramáticos deram lugar aos problemas que atualmente os personagens veem enfrentando. Mas por causa do andamento da história, às vezes fica paralisada e invés de usar suas habilidades contra o inimigo, resolver interagir com ele batendo um papo. Sei que isso ocorre, provavelmente, para que a história tome o rumo que a autora escolheu, mas o "papinho com o inimigo" poderia muito bem ser trocado por uma boa briga, se é que me entende...

"- Você está apenas com medo. Está com medo do que não conhece. Está muito preocupada em não decepcionar as pessoas. Você sufoca seu próprio potencial - acrescenta - por causa do que acha que os outros esperam de você... Porque ainda segue as regras que lhe dão. Pág. 315"

Kenji é outro personagem que teve mais destaque neste livro e adorei isso! Pois ele é um dos personagens mais animados da história, mesmo com seus palavrões e sarcasmo, não tem como não amá-lo e querê-lo sempre por perto.Os novos personagens da trama continuam encantadores, cada um a sua maneira.
É interessante como a Tahereh Mafi escreve uma história que se desenvolve e amadurece durante cada livro, como cada personagem se diferencia por sua personalidade e como é palpável os seus sentimentos, angustias e medos.

"Esperança.
É como uma gota de mel, um campo de tulipas florescendo na primavera. É chuva fresca, uma promessa sussurrada, um céu sem nuvens, a pontuação perfeita no final de uma frase.
E é a única coisa no mundo que me mantém em pé. Pág. 197"

A autora sabe mesclar muito bem os momentos mais enérgicos, como batalhas, sangue, com os mais amenos e até cômicos. Fiquei surpresa com alguns acontecimentos e alguns pontos do final. Acabou acontecendo tantas coisas que teve um momento em que fiquei dividida. Gostaria de poder comentar mais sobre esses acontecimentos, mas não posso, vou deixar para vocês descobrirem e sentirem quando o lerem ;)


Trilogia Estilhaça-me - Taheref Mafi 
Fonte: http://www.taherehmafi.com 
  1. Estilhaça-me (Shatter me);
  2. Liberta-me (Unravel me)
  3. Incendeia-me (Ignite me) (lançamento previsto no Brasil para 02 de Junho)

Contos da série - somente em e-book
1.5 Destrua-me (Destroy me)
2.5 Fragmenta-me (Fracture me)

Avaliação Final:




.: ~ * Beijinhos * ~ :.

Leia também:

2 comentários:

  1. Liberta - me foi muito bom mesmo, adorei o rumo que a historia esta tomando apesar de não ter concordado com o que a autora fez com alguns personagens. Uma coisa que me irrita sobre esse livro é os seus leitores, todos brigando por causa das capas, pra mim essa com a Juliette e a do primeiro livro, mas teve gente quase se matando dizendo que a capa com o olho no meio é mais bonita e que deveria ser a oficial. Sinceramente... aquele olho ficou muito... tosco... mal o mudam de um livro pra outro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Está é uma das minhas trilogias favoritas! Eu acho linda a primeira capa de Estilhaça-me, já a de Liberta-me achei que poderiam ter feito algo melhor. Até gosto do "olho". Tem alguns fãs que exageram, mas foi bacana da parte da NC fazer as Jackets para os livros =)

      Excluir