1

29 novembro 2013

~Resenha: Seis Coisas Impossíveis - Fiona Wood~

Ficha Técnica
Título: Seis Coisas Impossíveis
Autora: Fiona Wood
Selo: Novo Conceito
Ano: 2013
Número de páginas: 272
Assuntos: Drama, Infantojuvenil


Sinopse
Um choque de realidade de cada vez, por favor!
Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada...
E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe super triste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como:
1. Beijar a garota.
2. Arrumar um emprego.
3. Dar uma animada na mãe.
4. Tentar não ser um nerd completo.
5. Falar com o pai quando ele liga.
6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí...

Mas impossível mesmo será:
1. Não torcer para que Dan supere seus problemas.
2. Não rir muito com os devaneios dele.
3. Não querer ter um cachorrinho como Howard.
4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade.
5. Parar de ler este livro.
6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...

Dan acabou mostrando que é bom fazer listas, mas que é melhor ainda quando conseguimos cumprir os itens dela.... mesmo se não for do jeito que imaginávamos.

O pai de Dan Cerreil acabou de falir e revelar que é gay, o que resultou na sua saída de casa. Agora Dan e sua mãe tem que se mudar para uma casa super antiga deixada pela tia-avó de sua mãe, que além de feder a xixi de cachorro, vale uma grana alta, assim como as "antiguidades" que estão guardadas dentro dela, porém eles não podem vender nem uma peça sequer, o que inclui a casa. Depois de todos esses "choques de virar a vida de ponta cabeça" Dan se vê apaixonado (ou seria obcecado) por sua vizinha Estelle, que se mostra nem um pouco interessada em fazer amizade com o garoto.

"Problemas, responsabilidades, cara feia. Parece que já faz 1 milhão de anos que tudo com que eu tinha que me preocupar era jogar Nintendo, ou fazer a lição de casa a tempo.
Decido que ir falar com Oliver sobre tudo isso não é tão ruim assim. Pág. 121"

É interessante como o começo de um livro pode passar para o leitor uma ideia e do meio para o final passar outra totalmente diferente. E foi isso mesmo que aconteceu com "Seis Coisas Impossíveis". Como havia mencionado na coluna "Li até a página 100 e ...", Dan o personagem principal, me pareceu ser alguém muito triste, para baixo, tudo bem que ele passou por vários problemas de uma vez só, mas quando havia lido a sinopse a ideia que me passou foi de que Dan enfrentaria esses problemas de uma forma mais descontraída, irônica, tirando até sarro da própria "tragédia" o que foi totalmente o inverso.
Mas logo depois de todas as burradas feitas, do bullying sofrido e do seu egoísmo, as coisas começaram a fluir bem melhor.

"Quando lhe conto sobre o presente de aniversário que ainda não abri, ela tem uma teoria até para isso. No começo, não abri porque estava com raiva. Foi simplesmente para não dar o gostinho a ele, para rejeitá-lo. Mas, quanto mais tempo deixo aquele presente embrulhado, mias ele simboliza. Então, embrulhada ali, com o que quer que exista lá dentro, está também a esperança de que magicamente - e muito improvável e impossivelmente - meu pai possa me dar algo que faça tudo volta ao normal. Enquanto o presente estiver fechado, a esperança estará viva. Pág. 203"

Até Estelle, que no começo pareceu antipática e sem noção, se mostrou uma garota bacana que conseguiu esconder muito bem sua verdadeira personalidade, sendo um dos motivos pelo qual comecei a gostar mais dela. Dan também foi melhorando, mostrando que o que ele necessitava mesmo era fazer amizades e deixar seu egoísmo trágico de lado, olhar para o que não queria enxergar. Além de dar uma boa "manerada" na sua obsessão por Estelle.
Mas no quesito "Bullying" ele me irritou um pouco, pois Dan é o típico rapaz "certinho", "bom moço", mas ele não devia ter deixado ser tão zoado do jeito que foi, pois o verdadeiro "loser" da história com certeza se chama Jayzo.

"Abro um sorriso, no entanto estou ficando até com enjoo por causa de amanhã. Depois que a vi de uniforme, me dei conta de que Estelle estuda na minha escola nova. E seu eu estiver na turma dela? E se não estiver? O que é melhor: terror ou decepção?. Págs. 29"

A parte final do livro foi bem fofa, a autora usou algo que pode ser, classificado por alguns,  como bem clichê para dar uma segunda chance a Dan, sua mãe e Howard (o cachorro espertão), algo que estava o tempo todo lá, mas que passa despercebido fazendo com que só nos déssemos conta assim que é revelado. Apesar de ser bem bacana, o final foi um pouco corrido, pois demorou um bom tempo para as coisas acontecerem e quando chegou a hora foi tudo de uma vez só. Poderia ter mostrado até um pouco mais sobre o que aconteceria depois de tudo.

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Foi um livro bem bacana de se ler, apesar do começo não tão animador, no fim foi uma história fofa sobre um garoto que passou por vários "choques de realidade" mas que no final soube entender vários valores e lições da vida que abriram seus olhos para a verdade. Adorei a arte gráfica, super caprichada, tanto na capa quanto dentro do livro ;)


Avaliação Final:



.: ~ * Beijinhos * ~ :.

Leia também:

Um comentário:

  1. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas adorei a sua resenha ele parece ser bem divertido.
    Beijos
    neversaynever-believe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir