1

18 outubro 2013

~Resenha: Os Adoráveis - Sarra Manning~

Ficha Técnica
Título: Os Adoráveis
Autora: Sarra Manning
Selo: Novo Conceito
Ano: 2013
Número de páginas: 384
Assuntos: Romance, Ficção


Sinopse
Eles não têm medo de ser quem são
Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “;Melhor Blog sobre Estilo de Vida”; pelo ¬ e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos...
Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável...
Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane.
Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso.)
Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “;ex”; — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.

A temática é bacana, mas "eles" acabaram não sendo tão adoráveis como o título sugere. Além dos muitos altos e baixos que possui, igualmente ao temperamento de Jeane, tudo acabou sendo válido.


Jeane, além de ser uma ávida blogueira, representa um estilo chamado Dork, respirando, vestindo, ou seja, vivendo dorkimente! Não liga nem um pouco para o que as pessoas possam pensar sobre o seu estilo dork, que inclui usar roupas de brechós e ter um cabelo cinza.
Seus colegas de escola pensam nela como uma garota estranha, arrogante e solitária. Jeane namora Barney, mas eles não andam tão bem assim. Michael, um dos colegas de Jeane que a mais irrita (que está mais relacionado ao seu modo de se vestir, usando roupas da moda, e até mesmo sua presença), desconfia que pode estar rolando um "clima" entre sua namorada Scalett e Barney. Jeane, mostrando que não se importa nem um pouco com o fato, chega até a encorajar Scarlett a "dar um pé na bunda de Michael" e ir atrás de sua felicidade. Com isso acaba acontecem o que seria o mais improvável, Jeane e Michael começam a se aproximar cada vez mais um do outro...

"- Então, Adorkable não é mais sobre mim. Adorkable é uma rede livre de formatos, de malha solta e orgânica de almas com pensamentos semelhantes, e poderíamos ser jogados ao chão pela forma como pensamos e pela forma como nos apresentamos, e porque não temos medo de quem somos, mas, meu Deus, nós estamos olhando para as estrelas. Pág. 267"

Como disse, o livro tem seus altos e baixos, o começo tenho que confessar foi bem maçante, apesar de ter algumas parte até que bacanas. A ideia central da história é muito boa, sendo relacionada a busca da própria personalidade, de mostrar como você realmente é sem se importar com as opiniões, muitas vezes maldosas, das outras pessoas, o que é um assunto bem bacana, pois as pessoas não devem esconder quem realmente são só para poder agradar outras. Temos que fazer o que gostamos, o que nos deixa felizes, independente se isso pode parecer estranho para alguém. A narração é feita por capítulos intercalados entre Jeane e Michael.

"Eu não sabia o que dizer, o que nunca acontece, porque eu sempre sei o que dizer, e Michael Lee estava parecendo o coiote de Papa-léguas naquela fração de segundo quando ele percebe que foi além da borda do penhasco e que está prestes a despencar em um terreno rochoso repletos de "kactos". Desculpe-me cactos. Resumindo, ele parecia um garoto cujo sistema de crenças acabara de se tornar total poeira e escombros. Pág. 111"

Os personagens foram um caso sério, rsrsrs. Jeane realmente é alguém difícil de se lidar e apesar de não ter gostado nem um pouco dela no começo, admirei como sua determinação para "correr atrás dos seus sonhos" e como ela consegui ser sempre sincera, mesmo que muitas vezes arrogantes, sobre seus ideais e opiniões. Mas ela chegou a ser bem egoísta e acabou pagando por isso...
Michael foi razoável, me irritou um pouco, apesar de ter uma passagem melhor que Jeane, não conseguiu me conquistar muito. Pelo menos ele era o mais sensato da história. Já Scarlett foi irritação do começo ao (quase) fim! Pois era muito boba e falava muita asneira, mas parece que Barney à ajudou nesse ponto. A tal de Heidi então, nem me fale, riscaria ela até do mapa!

"Preciso dizer uma coisa sobre Jeane, no entanto: quando ela estava magoada e triste, em vez de ser toda "Tanto faz", ou "Eu não estava realmente na dele", ela não teve medo de cair na real, mesmo que cair na real significasse ficar confusa. Eu tinha que respeitar isso, porque sempre me preocupava em ser perfeito, achava que as pessoas poderiam me odiar ou perderiam o respeito por mim caso eu mostrasse qualquer coisa menor que a perfeição. E ser perfeito não é mesmo fácil. Págs. 66"

Alguns pontos Negativos...
Sim, o ponto que mais pesou no livro, detalhista demais! E quando falo isso é detalhista mesmo, se reduzisse umas 150 páginas de pensamentos filosóficos, discussões sem importância ficaria bem melhor e menos maçante. Eu até não me importo de ler livros mais descritivos, desde que os detalhes seja relevantes, tenham uma certa importância. (Apesar de preferir os que vão direto ao assunto, sem rodeios).

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*

Seria indicado para quem quer ler algo descontraído, leve e que não se importe com livros detalhistas. Pois apesar de um começo "difícil", o livro melhora bem quando está próximo ao final, que aliás achei que seria algo bem previsível, mas que não foi tanto assim.


Avaliação Final:



.: ~ * Beijinhos * ~ :.

Leia também:

5 comentários:

  1. Sua resenha foi a mais desanima até agora hehe. To impressionada com a quantidade de gente resenhando esse livro.
    Gostei dos pontos que vc destacou. Tenho vontade de ler só por ser leve e divertido mesmo.

    beijos
    Bia - www.livredujour.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Esse livro está dividindo as opiniões, já li resenhas positivas e negativas.
    Por hora não tenho interesse nessa leitura.

    Bjo!

    Visita o meu cantinho e se puder segue, =D

    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não sei se eu iria gostar desse livro, mas sua resenha foi boa.
    Beijos
    neversaynever-believe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Primeira vez que vejo alguém com uma opinião próxima da minha quanto a esse livro.
    Minha relação com a protagonista não foi fácil também.
    Acho que a ideia foi bem legal, sabe?! A sinopse sugeria personalidades fortes e diferentes, pessoas que não têm medo de ser o que são, etc e tal. Mas eu achei a Jeane extremamente forçada, como se ela quisesse impor aquilo tudo, mas na verdade não era. Não sei se faz sentido hahahaha. Para mim a autora quis criar uma personagem diferente e interessante, mas não conseguiu. Só fez uma chata :x
    E também acho que o livro se estendeu demais, tanto que nas últimas páginas eu pulei. Eu puleiiii as páginas para ir direto ao final e não mudou nada, tudo foi compreendido.
    Esse entrou para um dos piores livros que li :/


    (Carol)

    Conhece o nosso blog? ourbravenewblog.weebly.com
    Estamos sempre retribuindo visitas e comentários de amigos blogueiros :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Confesso que pulei algumas páginas e outras li bem rapidamente, sem muito foco, só para ver se eram importantes, e como você mencionou, acabaram nem fazendo falta.
      Apesar disso, tenho interesse em dar uma segunda chance para os livros da autora quem sabe, né?

      Vou visitar seu blog pra conhecer =)

      Excluir