1

19 julho 2013

~Resenha: Sangue Quente - Isaac Marion~

Ficha Técnica

Título: Sangue Quente
Autor: Isaac Marion
Selo: Leya
Ano: 2010
Número de páginas: 256
Assuntos: FICÇÃO, ROMANCE


Sinopse
R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima.
Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

Gostaria de dizer que o livro me encantou, pois estava querendo lê-lo desde que foi lançado, mas não foi bem assim.......

Este livro me mostrou, como assistir uma adaptação antes de ler o livro do mesmo, pode nos fazer ter uma ideia bem diferente da história.....
Eu explico, acabei não resistindo e assisti ao filme "Meu Namorado é um Zumbi", baseado neste livro, antes de lê-lo. E pode ser que por causa disso, o livro não tenha me conquistado tanto.
"Então, o fato de eu ter trazido esta garota não consumida e de propósito é algo misterioso, um milagre do mesmo nível de um nascimento tradicional. M e os outros me dão bastante espaço nos saguão e corredores, me olhando confusos e maravilhados. Se soubessem a verdade a respeito do que estou fazendo, suas reações seriam... bem menos moderadas. Pág. 33"

Vamos aos pontos negativos...
O começo foi a parte que menos me agradou, muito parado. Apesar de ser um livro curto, ainda havia muitas partes que só serviam para "encher linguiça". Alguns devaneios de certos personagens, descrições de cenários, que mesmo em um mundo pós-apocalíptico, ficaram bem estranhos e difíceis de imaginar.

"..... - Você nunca fez isto antes, né? Quero dizer, levar um humano vivo para casa?
Faço que não com a cabeça quase me desculpando, mas fico abalado pelo uso da palavra "humano". Nunca gostei daquela diferenciação. Ela é Viva e eu sou Morto, mas gosto de pensar que ambos somos humanos. Pode me chamar de idealista se quiser. Pág. 53"

A descrição dos personagens também não me convenceu, principalmente sobre o fofo do R. Não combinou em nada com ele, já no caso de Julie, foi a sua personalidade, palavrões desnecessários fizeram ela cair um pouco no meu conceito, ao contrario de Nora, que se destacou bem mais, apesar de somente aparecer a partir da metade do livro. Por isso, acabei imaginando alguns personagens iguais aos do filme, por acha que suas características combinavam mais.

"Nossas pernas estão tremendo como se a Terra estivesse acelerando, girando e partindo para órbitas não mapeadas. É assustador, não? Mas que coisa maravilhosa não começou sendo assustadora? Não sei qual é a próxima página para você, mas o que quer que esteja reservado para mim, prometo que não vou foder tudo outra vez. Não vou parar no meio de uma frase e esconder a coisa na gaveta. Não dessa vez. Quero arrancar esses cobertores sujos e suados de apatia, antipatia e de aproveitadores cínicos e austeros. Quero a vida em toda a sua crueza estúpida. Pág. 244"

Imaginei muito mais ação nas perseguições dos zumbi, outro detalhe que senti falta, teve pouquíssima ação. Principalmente no caso dos "ossudos" que praticamente foram rebaixados ao nível de "mensageiros", sendo que no filme, eles foram colocados mais como "criaturas macabras", que causavam terror, tantos aos humanos quanto aos zumbis, e não "padres" que ficam realizando "casamentos entre zumbis" o.O"


Vamos aos pontos Positivos...
R teve o mesmo brilho que no filme, um ser especial, que apesar de estar morto ainda pensa muito na "vida", que apesar de sua aparência acinzentada, ele consegue ser mais "humano" que muitos outros zumbis.
Do meio para o fim do livro, a história até dá uma melhoradinha, e tem umas pequenas partes com ação, como na parte da descoberta do General, impulsionando um pouco a minha leitura, mesmo eu sabendo como seria o final. Como o livro contou várias partes de um jeito bem diferente do filme, sei lá, teve um breve momento que cheguei a considerar um fim alternativo.

"Ele destrava a arma e a pressiona contra minha cabeça, exatamente sobre o band-aid de Julie. Lá vamos nós. É a ironia sempre presente de M. Minha morte inevitável, que me ignorou durante todos aqueles anos que eu a desejava diariamente, chegando apenas depois de eu decidir que gostaria de viver para sempre. Fecho os olhos e me preparo. Pág. 214"

Não foi uma leitura ruim, mas não me fez sentir a mesma coisa de quanto assisti ao filme.....
Se você leio livro antes de ver o filme (o que não fiz =P), post nos comentários o que achou!
Assim posso ter uma ideia, se o livro realmente perdeu seu encanto por eu ter visto o filme primeiro ^-^

Avaliação Final:


.: ~ * Beijinhos * ~ :.

Leia também:

6 comentários:

  1. Sam eu sou doido pra ler esse livro...Mas infelizmente eu asisti ao filme primeiro ;(
    Então, até me desanimou comprar o livro!!

    Bjão!

    ResponderExcluir
  2. Olha, eu não tinha me interessado nem pelo livro nem pelo filme. O filme eu já sei que foi um fracasso, mas quero ler um livro, poder dar essa chance a ele, lê-lo sem ter a mente maculada pelas imagens do filme, rsrsrs.
    Excelente resenha, sua escrita é ágil e fluente, me cativou.
    Gostei muito do blog, já estou seguindo!
    O meu está no início, ficaria muito feliz em te receber lá qualquer hora dessas!

    Abraços!

    http://pecasdeoito.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Sam! Eu sou doida pra ler e pra assistir ao filme.. Como eu ainda nao comprei o livro, pensei em assistir antes, mas agora, com sua resenha, to achando melhor me segurar e ler primeiro, né?
    Não sei se vou gostar.. sei lá, a ideia que temos de um zumbi é a de um ser irracional, que simplesmente quer saciar sua fome, então não sei se vou me sentir confortavel com esse historia, mas tenho curiosidade em ler.

    Beeijão
    Rapha ~Doce Encanto

    ResponderExcluir
  4. Olá, eu tinha interesse pelo livro mas tinha minhas dúvidas. Não assisti o filme mas, considerando os pontos negativos abordados por você me parece o tipo de livro que eu deixaria pela metade; Parabéns pela resenha. Estou seguindo teu blog para mais novidades.
    Sou nova por aqui e se puder me seguir agradeço http://sobrevivendomundomoderno.blogspot.com.br/
    ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi Sam!
    QUando soube da historia do Livro, admito que torci o nariz, não sou lá muito fã de Crepusculo e um romance entre uma humana e um zumbi parecia seguir essa mesma linha. Mas o meu costume é conhecer primeiro para depois poder julgar, por isso consegui de um amigo os primeiros capitulos do livro. Achei interessante e acabei gostando do R, então fui atrás do resto da historia, comprei o livro e comecei a ler, terminando em menos de 24 horas. Achei legal o fato do R ser diferente dos outros desde o começo (ao inves de ter se tornado diferente ao se apaixonar pela Julie a primeira vista, como acontece em muitos livros/filmes), o fato dele se esforçar para tentar manter um pouco de humanidade mesmo depois de morto e como defendeu a Julie até o final. Depois que li o livro, descobri que o filme seria lançado (Sobre o vergonhoso nome de "Meu Namorado É Um Zumbi" sério o que esses caras fumam?) fui no cinema para assisti - lo e até que ficou bom, mas ainda prefiro o livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como não amar o R? Realmente, acredito que por ele ser diferente é que o personagem e a história conquistaram tanta gente. Mas por ter visto o filme primeiro, a visão que tive do livro ficou diferente. Por isso que não gosto de assistir o filme primeiro, porque acaba afetando a nossa expectativa sobre a história. =/

      Excluir