1

29 janeiro 2013

~Resenha: Garotas de Vidro - Laurie Halse Anderson~

Ficha Técnica

Título: Garotas de Vidro
Autora: Laurie Halse Anderson
Selo: Novo Conceito
Ano: 2012
Número de páginas: 272
Assuntos: FICÇÃO, DRAMA


Sinopse
“Lia e Cassie são amigas há anos, ambas congeladas em seus corpos. No entanto, em uma manhã, Lia acorda com a notícia de que Cassie está morta, e as circunstâncias de sua morte ainda são um mistério. Não bastasse isso, Cassie tentara falar com Lia momentos antes, para pedir ajuda.

Lia tem de lidar com o pai, que é um renomado escritor, sua madrasta e a mãe, uma cardiologista que vive ocupada, salvando a vida dos outros. Contudo, seu maior tormento é a voz dentro de si mesma, que não a deixa se esquecer de manter o controle, continuar forte e perder mais, sempre perder mais, e pesar menos. Bem menos.”

Lia é uma garota obcecada pela magreza, tudo acaba piorando quando, sua melhor amiga, Cassie, é encontrada morta em um quarto de motel. O pior de tudo foi, Cassie ter ligado para sua amiga 33 vezes antes de morre....


Adorei a capa, a arte foi super bem trabalhada, e gostei também do tema, distúrbios alimentares, algo que é diferente no mundo literário. Lia é uma garota determinada eu concordo, e nos cativa de um forma tão grande, que começamos a torcer por sua recuperação, para que ela volte a ser, como ela mesma diz "Uma garota de verdade"....
Ela também fantasia bastante, tem vários pensamentos loucos de quanto mais magra ela for, mais forte ela será, deixando a leitura, na verdade, bem interessante, nos faz ter ideia do que passa pela cabeça de pessoas que possuem esta doença.

"As vozes nadaram por dentro dela e se multiplicaram em ecos minúsculos e carbonizados que fizeram morada permanente dentro de sua casca de ovo de seu crânio.
::Estúpida/feia/estúpida/vaca/estúpida/gorda/estúpida/criançona/estúpida/perdedora/estúpida/perdida:: Pág. 150"

Achei incrível o que ela faz, para enganar os pais e a si mesmo, em relação ao seu peso. Lia usa desde moedas, a beber litros e litros de água, fingir que comeu, ou se comer tem que ser algo só para mantê-la em pé. Mas ela tem vontade de comer, e o que ela faz, reluta com todas as suas forças, para não por nem uma grama de comida na boca, além de ela saber, e contar as calorias de tudo que come ou vê .

"Visto o roupão amarelo no meu quarto e verifico se as moedas que costurei nos bolsos não estão os deixando caídos demais para quem vê. Quando vou para o banheiro, Jennifer está consertando o delineador no espelho. Subo na balança.
Quarenta e oito quilos e cinquenta e três gramas falsos. Pág. 48-49"


O livro é bem intenso, em algumas partes você chega a pensar em como aquilo é possível, ao logo do livro, apesar de Lia se culpar toda hora por não ter atendido os telefonemas da amiga, felizmente, ela conhece e vai se aproximando mais de Elijah, um rapaz que mora no motel onde Cassie foi encontrada, e ele, de um jeito meio diferente, a ajudou a encarar os fatos.

"Eu não deveria. Não Posso. Não Mereço. Sou gorda gigante e tenho nojo de mim mesma. Eu já ocupo espaço demais. Sou um hipócrita feia e malvada. Sou um problema. Sou um lixo. Quero dormir e não acordar, mas não quero morrer. Quero comer como uma pessoa normal, mas preciso ver meus ossos ou vou me odiar mais e poderia arrancar meu coração ou tomar todos os comprimidos já fabricados na história.... Pág. 197"

Como eu disse, o livro em certos momentos é bem forte, chega a nos causar sensações estranhas. Tem horas que a gente até para pra pensar, mas há um motivo para o livro ser tão "real", nos agradecimentos, a autora teve ajuda de uma pediatra e de uma psicoterapeuta, o que uma certa ideia de como pessoas com distúrbios alimentares se comportavam. Apesar disso, achei a leitura bem rápida, Laurie escreve muito bem, você não se perde na história, e corre o sério risco de ficar a madrugada inteira lendo-o, pois não consegue mais parar (sou um exemplo disso xD).

"Comer quinhentas calorias por dia está funcionando. Verdade = 42,63
Outro objetivo alcançado. Uhú.
Eu deveria ser um champanhe brilhante como um diamante estourando em direção as estrelas, mas o alto-falante entre meus ouvidos fica ligado, no volume máximo, com outro objetivo: 38,5. 38,5. 38,5
Trinta e oito quilos e quinhentos gramas são a perigolândia.
Trinta e oito quilos e quinhentos gramas são fogos de artifício do 4 de julho em uma caixa pequena de metal. Pág. 184"


Avaliação Final do Livro: 5 estrelas de ouro!! Leitura Hiper Aprovada xD




Comente! Não custa nada, não é? Para fazer uma blogueira feliz, vai! ;)!!



.: ~ * Beijinhos * ~ :.

Leia também:

3 comentários:

  1. A personagem Lia, me lembrou a Cassie (coincidência ser o nome da amiga) da série Skins, era a minha favorita da série, apaixonante... :\
    Não conhecia a história do livro, e agora fiquei com muita vontade de ler.

    Claudia F.
    Palavras (In)certas

    ResponderExcluir
  2. Essa história deveria ser lida por todos os jovens, porque a ditatura da magreza está corroendo as cabecinhas que buscam se encaixar no padrão ditado pela moda, pela mídia... É uma doença terrível, apesar de ter tratamento. Porque a qualquer momento a pessoa pode ter recaídas. É uma luta.
    Estou louca para ler este livro|!

    ResponderExcluir
  3. Oi Samantha ^^

    Estou para ler esse livro há tempos, mas sempre acabo lendo outro, vou ver se leio logo hahaha
    espero gostar bastante, adoro livros com temas fortes.

    Beijao
    Rapha ~Doce Encanto

    ResponderExcluir